quinta-feira, 22 de novembro de 2007

POESIA

Nunca Mais

Nunca mais te darei o tempo puro
Que em dias demorados eu teci
Pois o tempo já não regressa a ti
E assim eu não regresso e não procuro
O deus que sem esperança te pedi

Sophia de Mello Breyner Andressen

10 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Obrigada.

Um grande, enorme aplauso por nos trazer hoje um poema de uma Grande Senhora da Poesia.

Saudações
I.

Provedor de Oeiras disse...

Senhora Isabel Magalhães,

Sophia de Mello Breyner a par de Fernando Pessoa são para mim os dois máximos expoentes das letras em Portugal. Para além da poesia, Sophia de Mello Breyner tem ainda uma vasta publicação de contos infantis extremamente interessantes e bonitos, para serem lidos por todos, crianças e adultos.
Alguns desses contos estão num nível não inferior a “O Príncipezinho” de Saint Exupéry. “O Cavaleiro da Dinamarca” por exemplo é um conto lindíssimo de Natal e um presente que costumo dar a pequenos e mais graúdos por estas alturas.

Diogo Castro

Anónimo disse...

Portugueses,

Sem dúvida que a poesia é uma mais valia, onde os melhores, aqueles que se destacam... emergem!
Em qualquer organização, o RIGOR e EMPENHO são fundamentais para o engrandecer de todos e na sua base encontra-se a Educação.
Educação é um tema fundamental no evoluir de uma NAÇÃO, que se deseja NOBRE, LIVRE e PODEROSA. Como tudo aí começa, é necessário que os elementos que participam na evolução do conhecimento sejam bem formados e responsáveis, sujeitos a rigorosos métodos de selecção. Infelizmente, estes são valores desprezados e a educação sofre... a boa poesia tende a perder qualidade...
Na base, no Soldado, se espelha o Topo...

Major Silvério

antonio manuel bento disse...

Estimada Senhora Sophia Andersen,

Uma senhora de Oeiras certamente e de familias proeminentes. Seja pois bem vinda a esrte espaço de debate e de partilha de ideias, cultura e saber. É um prazer tê-la em blog
António Manuel Bento, um cidadão ao serviço da comunidade

Anónimo disse...

Está visto. O sr bento, mais uma vez, não tomou os comprimidos!


« antonio manuel bento disse...
Estimada Senhora Sophia Andersen,

Uma senhora de Oeiras certamente e de familias proeminentes. Seja pois bem vinda a esrte espaço de debate e de partilha de ideias, cultura e saber. É um prazer tê-la em blog
António Manuel Bento, um cidadão ao serviço da comunidade

23 de Novembro de 2007 11:53 »

Anónimo disse...

Caro «Provedor de Oeiras»;

Face ao inusitado do encontro «on-line» com a Senhora D. Sophia de Mello Breyner Andressen até me esqueci de o felicitar pela escolha da autora e do poema.

Isabel Magalhães disse...

Caro Diogo Castro;

Alertada por um comentador no O.L. aqui estou, também, a cumprimentar a sua nova 'colaboradora' ('Uma senhora de Oeiras certamente e de familias proeminentes.')!!! :))))

Deixo-lhe as minhas saudações.

I.

O Lopes disse...

Caro «Provedor de Oeiras»;

«Ver para crer, como São Tomé!»

Votos de umas boas gargalhadas.

Bom post. Boa escolha.

[]
O. Lopes

Anónimo disse...

Sugiro que seja publicado qualquer coisa de Fernando Pessoa. Pode ser que o Sr Bento se lembre de o ir cumprimentar à esplanada da "Brasileira", no Largo do Chiado.

Edmundo Afonso disse...

Caro Diogo Castro,

Após mais um brilhante post aqui colocado, deixe-me consigo partilhar uma alegria imensa, em poder satisfazer esta sede que me percorre, de arte, cultura e saber.
Consciente de que pouco ou nada sei, apreciador do belo e imensamente interessado no conhecimento futuro, deixo-lhe um forte incentivo de continuidade.
Parabéns pela escolha!!

Cumprimentos,

Edmundo Afonso